segunda-feira, 5 de maio de 2008

O Muro Verde

O que será que tem por trás desse muro verde?
Cercando vidas, histórias, culturas e um povo que sempre quer voltar?
O que acontece se eu ultrapassá-lo?
Será uma borda deste ninho quente?
Será que vai ter medo, solidão, aventura?
Eu sei que esse muro não cerca, acolhe
E que cada um que o atravessa leva um pedaço junto
Eu vou levar um pedaço junto
Eu vou encontrar mais pedaços pra juntar
Por que então, medo?
Esta é minha aldeia, meu aconchego
Minha aventura, e agora minha solidão
Então por que, medo?
Já não é cedo para se preocupar
Mas não é medo de se levantar?
Eu não consigo parar de pensar
Mesmo que meus olhos não te alcancem
Mesmo que a chuva te esconda
Mas quem vai dizer que não é hora de fazê-lo?
Eu vou?
Só quem te pertence percebe
Só quem te conhece entende
E quando o sol se esconde atrás de ti
Eu digo pra mim mesmo
Maria, não quero ir
Mas eu me encosto em tuas pedras
E o barulho da maré nos meus pés
Ensurdecem minha cabeça
E como filhote de urubu
Eu sinto medo de voar
O despertador tocou
E eu perguntei
Não é cedo pra ter medo de se levantar?

2 comentários:

Milena Marília disse...

talvez seja. mas tem que levantar de todo modo.

por conta do trabalho, trabalho, trabalho...

Zagra disse...

Atravesse o muro verde, é o melhor q faz...